sexta-feira, 8 de junho de 2012

Poesia vira remédio para doentes graves

(por  Melissa Myeko)
Nos receituários que a médica-escritora prescreve aos seus pacientes no Hospice do Hospital das Clínicas e no Hospital Israelita Albert Einstein, estão poemas de Clarice Lispector, Manoel de Barros, Fernando Pessoa e seu favorito, Mário Quintana – que inspirou seu “nome artístico”. Também figuram Cecília Meireles (“ela me ajuda a trabalhar com a morte no dia a dia”, Ana diz) e Carlos Drummond de Andrade...
Leia mais...  http://www.jornaldocampus.usp.br/index.php/2012/05/poesia-vira-remedio-para-doentes-graves/

Nenhum comentário:

Postar um comentário